Polícia Civil abre inquérito para investigar incêndio na Serra da Bocaina

Foram seis dias de incêndio em área de mata entre as cidades de Bananal e São José do Barreiro.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o incêndio na Serra da Bocaina, que destruiu 1,2 mil hectares de vegetação, área equivalente a 1,6 mil campos de futebol. Foram seis dias de fogo na mata entre as cidades de Bananal e São José do Barreiro.

De acordo com o delegado João Paulo Abreu, responsável pela investigação, o objetivo da polícia é descobrir onde começaram as chamas e se elas foram provocadas de maneira criminosa.

“Vamos começar a analisar imagens de satélite do pessoal que monitora a reserva e vamos identificar os focos de incêndio, onde se iniciaram os focos de incêndio. A partir daí, vamos chamar os proprietários [dos terrenos] para se justificarem de como aquilo se iniciou ali”, afirmou.

Mesmo com as chamas controladas desde domingo, o local continua sendo monitorado. “Agora é um acompanhamento típico das atividades de defesa civil. Caso haja necessidade, o Corpo de Bombeiros estará à disposição, monta a força-tarefa que for necessária”, afirmou o Capitão Paulo Reis.

Prejuízo ambiental

Técnicos da Estação Ecológica de Bananal avaliam que a natureza levará até 15 anos para se regenerar do dano ambiental causado pela queimada. O fogo atingiu a mata que margeia a Unidade de Conservação (UC) da Estação Ecológica de Bananal. A UC, que tem 884 hectares, não foi atingida.

O incêndio queimou mata nativa da chamada zona de amortecimento da Estação, uma floresta protegida localizada à volta da unidade.

Segundo os ambientalistas, animais morreram queimados ou sufocados com a fumaça. A perda de vegetação nativa deve prejudicar a alimentação dos sobreviventes, além de ser um risco à produção de água, já que o fogo consumiu espécies que protegem nascentes.

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: