Guia prático de ecoturismo: Nove dicas práticas para ecoturismo

O ecoturismo alia preservação ambiental e cultural ao maior contato com a natureza.

Diz-se que um bom viajante é aquele que desfruta as atrações do local visitado sem deixar rastros. Leva consigo apenas as lembranças. Esse é um dos lemas do ecoturismo, que cresce a cada ano no mundo todo. Confira como fazer ecoturismo e os principais mandamentos desse estilo sustentável de desfrutar de belos passeios:

1. Planeje

Considere as vantagens e desvantagens de viajar por conta própria ou por meio de uma agência. Caso opte pela última alternativa, dê preferência aquelas que possuem preocupações relacionadas à preservação dos recursos naturais dos destinos escolhidos.

Escolha as atividades que irá praticar de acordo com o seu condicionamento físico e sua experiência. Esse tipo de viagem pode fazer com que sua vontade de sair da rotina o conduza a extrapolar seus limites, sujeito-se a acidentes. Então, fique atento;

2. Pesquise

É interessante conhecer o lugar, sua história e atrações antes de visitá-lo. Desse modo, você aproveita mais e compreende melhor a importância das plantas, animais e hábitos culturais vistos durante o passeio. O risco de cometer alguma atitude que contrarie essas tradições cai consideravelmente com uma pesquisa prévia;

3. Bagagem

Reduza ao máximo as embalagens (veja mais aqui). Leve roupas de cores neutras (para não causar estranheza aos animais locais) e também protetor solar que não se dissolva em água, para não prejudicar a fauna e flora marinhas;

4. Respeite os animais

Não faça muito barulho para não assustar e afugentar os animais do local.

Observe-os à distância, pois a proximidade pode ser interpretada como ameaça e provocar reações hostis. Também não dê alimentos aos bichos, pois cada animal tem uma dieta própria e pode não reagir bem à comida dada;

5. Não deixe lixo no local

Leve com você uma caixa de papelão ou um saco de papel para depositar o lixo produzido. Se for acampar, enterre os dejetos orgânicos a pelo menos 30 metros de fontes, cursos d´água e trilhas. Os dejetos recicláveis devem ser guardados para posterior reciclagem (saiba onde reciclar clicando aqui);

6. Água

Não use sabonete ou detergentes para não contaminar rios e lagos e, com isso, comprometer a pureza e a vida dos peixes e da vegetação aquática. Dê preferência a modelos feitos com produtos naturais e que não agridam o meio ambiente;

7. Não leve nada para casa

Não arranque flores, não colete conchas ou estalactites e estalagmites das grutas e cavernas, ou ainda sementes e pedras que encontrar, para que outras pessoas também tenham a oportunidade de apreciar esses elementos naturais. Além disso, a simples passagem de pessoas por um lugar já gera impactos ambientais, erosões na trilha e espanta animais. Que tal tirar fotos para guardar de lembrança? Ah, e não pinte ou rasure rochas, cavernas ou grutas;

8. Evite incêndios

Cigarros e fogueiras podem provocar incêndios, afetando, com isso, o solo e a vegetação. Portanto, se você é fumante, guarde suas bitucas para não causar acidentes e tente descartá-las de forma correta posteriormente;

9. Segurança

O salvamento em ambientes naturais é mais complexo, por isso, não se arrisque. Se vir alguém em perigo, entre em contato com habitantes locais e saiba como proceder.

Ao pegar uma trilha, avise alguém de confiança sobre o destino e o provável horário de retorno, caso precise tomar alguma providência em decorrência de alguma situação inesperada.

Leve sempre com você lanterna, agasalho, capa de chuva, estojo de primeiros socorros, alimento e água, mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração, para qualquer eventualidade.

Fonte: https://www.ecycle.com.br/

Leave a Comment

Translate »
%d blogueiros gostam disto: